quinta-feira, 23 de abril de 2015

E se quiser saber pra onde eu vou... pra onde tenha sol.... é pra lá que eu vou!

Em Agosto do ano passado, escrevi um post falando do verão que estava chegando... e agora venho aqui pra contar como é que foi. Acho que desde os meus tempos de colégio que não tenho um verão tãããão bom na minha vida! Aliás, bons tempos aqueles de colégio que a única obrigação é passar de ano né? A gente era feliz e não sabia!!! Mas voltando à realidade... eu estava louca pro verão chegar, porque sei o bem que ele faz para a Malu.

Imaginei que iria curtir o verão aos Sábados e Domingos com minha pequena, mas a empresa que eu trabalhava decidiu mudar toda a área financeira para SP e com isso, decidiu dispensar a maioria da equipe... e eu sabia que estaria no bolo, pois era nova na casa e tinha quem me substituísse. Dito e feito, no início de Novembro levei o melhor pé na bunda da minha  vida.

Conversei com meu marido e já que no fim do ano seria difícil me recolocar, estávamos com uma reserva financeira boa e o verão estava logo ali, que eu esperaria a virada do ano pra começar a correr atrás de alguma coisa. Sábia decisão!!! Além disso, as férias eternas da Malu terminariam em Fevereiro, pois já havia matriculado a baixinha na escola... então era hora de curtir!!!!!!

Desde que comecei a trabalhar, ainda na faculdade, sempre emendei um emprego no outro... e nem sempre consegui tirar as férias programadas, então este foi meu período sabático... eu, Malu e o sol! Pra completar, este verão foi o verão da seca né? Tudo bem que um monte de gente ficou sem água, reservatórios entraram no volume morto... mas eu e Malu conseguimos um bronzeado sensacional!!! Era sol todo santo dia!

A gente acordava cedinho e ia para a praia ou piscina, cheias de protetor e chapéu, mas mesmo assim, no fim das férias forçadas estávamos as duas com o bumbum branco de tanto pegar sol! Depois da maratona aquática, a Malu almoçava, tirava a famosa soneca e no fim da tarde rolava uma ida ao parquinho do prédio, ou então piscina de novo se o calor estivesse ruim de aturar. Foi muito especial passar quase 4 meses “fulltime” com a Malu... ela ficou ainda mais grudada em mim e claro que quando voltei a trabalhar rolou um drama.

Mas o ponto super hiper ultra mega blaster positivo, foi que a última amigdalite que a Malu teve foi em Novembro de 2014. Como o verão faz bem à ela! Além de não ter tido amigdalite, ela não teve uma febrezinha sequer. Somente semana passada é que ela pegou uma gripe, que acabou culminando no episódio de broncoespasmo que comentei no post da semana passada. Pra quem tinha amigdalite praticamente todo mês, estar há 5 meses sem sinal é uma vitória!!!
               

Com a chegada do outono sei que a festa vai acabar, ainda mais agora que ela frequenta a escola e sempre tem algum amiguinho com o nariz escorrendo... nem tudo é perfeito, mas felizmente todo ano tem verão! E vamos combinar que aqui no RJ ele é especial :)


Malu a milanesa


Tirando a areia!!!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

As aventuras de uma mãe com uma filha sem legendas

Uma das poucas coisas que me preocupava era a demora da Malu pra falar. Ela já tinha dois anos e falava poucas palavras, poucas mesmo... já falei aqui no blog que ela mandava um mamã, tatá (papai), ti (leite) e completava o nome dos backyardigans... mas fora isso, mandava um “hummmm” e apontava com o dedo pra pedir o que queria. Aquilo já estava me tirando do sério, por mais que eu soubesse que deveria considerar o fator prematuridade, que ela não frequentava a escola e portanto não desenvolveria tão rápido e por fim, que cada criança tem seu tempo ué!

Mas vai tirar minhoca da cabeça de mãe... missão impossível! Toda consulta eu perguntava ao pediatra se deveria procurar a ajuda de uma fonoaudióloga e a resposta era sempre a mesma: “Ela entende o que você fala? Se você dá três ordens, ela cumpre ao menos duas? Ela se faz entender com gestos?” . Sim, sim e sim. “Então vamos esperar, daqui a pouco ela solta a língua”. Minha avó era outra que me falava “Calma que logo logo ela vai falar tanto que você vai pedir peloamordedeus pra ela calar a boca”... sábias palavras!

Um belo dia, simplesmente do nada, a Malu começou a falar tudo. Saiu do vocabulário de no máximo 15 palavras para um Aurélio inteiro! Parece até que ela apertou um botão no cérebro e desandou a tagarelar por aí. Tomei um susto, pelo menos um susto bom né? Ela tinha por volta de 2 anos e 3 para 4 meses, e desde então o vocabulário só aumenta. E como aumenta! Digo que o vocabulário dela aumenta em progressão geométrica!!! Todo dia é uma novidade e as vezes ela fala coisas que eu nem sabia que ela sabia!

Uma das coisas que ajudou bastante foi a música. A Malu adora música e tem um ritmo ótimo para uma criança tão pequena. Ela adora todas as aberturas dos desenhos e começou a cantar todas as musiquinhas. A Palavra Cantada também virou vício uma época e tem um dvd deles que mora no meu carro, a Malu senta da cadeirinha e já pede “pé com pé”, mas a que ela canta mais engraçado é a música “carnaval das minhocas”, eu choro de rir dirigindo enquanto ela vai mandando o “malulês” no banco de trás. Ultimamente entrou pro repertório o tal do Bubble Guppies, em todos os episódios tem uma parte que os personagens cantam e dançam, aí a baixinha vai a loucura!!!!!! Canta a música, faz a coreografia e obriga quem estiver em casa a fazer junto... pelo menos umas 15 vezes!

Quando ela começou na escola, já falava bastante coisa, mas foi depois disso que o vocabulário decolou de vez. Ela começou a formar frases de 3 ou mais palavras e a contar histórias! O melhor é quando ela pega um livro e imita a professora, ela finge que lê e começa a falar um blá blá blá que não dá pra entender nada, eu me divirto horrores. Seguem alguns trechinhos do idioma malulês que preciso decifrar diariamente...

- Mãããeeee quer cudo!
- Malu, suco?
- Cudo mamãe!!
- Não filha... É suco...
- Cudo mamãe...
- Su-co
- CU-DO!!!!
- Ok, ok.....

***

Ligo a TV e pergunto qual desenho ela quer ver....
- Papipaki mamãe!
- Oi? Papi o que???
- Papipaki mamãe!!!!
- Backyardigans?
- Não
- Mickey? Fresh Beat? Hi-5?
- Não, não e não.
... Saio correndo, porque a babá estava indo embora...
- Juuuuu, socorro!!! Que raios é papipaki?!?!
- É Zack e Quack!

***

Malu toma banho, bota o pijama, pede o ti (leite) e pede pra ligar a "vivisão". Obedeci tudinho e depois fui arrumar as coisas pra ela dormir, quando ela começa...
- Mamãe!!!! Ô mãããeeee...Banutsi não!!!
- Boa noite não? Mas tem que ir dormir filha!
- Banutsi não mãe!!! Banutsi não!
- Mas filha, tem que dar boa noite sim, porque você tem que ir dormir e descansar...
- Não mãe!!! Banutsi não!!!
(a essa hora ela com certeza estava pensando "que anta essa minha mãe") Olho para a vivisão e decifro o código... "Lalaloopsy não..." 

Na boa Discovery Kids, da pra arrumar uns desenhos com nomes normais?! Na minha época era Pica-pau, Manda Chuva... No máximo Flinstones!!! Lalaloopsy, Zack e Quack... Ta de sacanagem!

***

Malu lendo um livro ontem...
- Mamãe, o pexe...
- Isso filha... o peixe
- Mamãe, abeia..
- Abelha...
- Mamãeeee! Punheta!!!
- Não filha, é o PLANETA!
Era um desenho de Saturno, nem sei aonde ela aprendeu que aquilo era planeta!

E para finalizar, um vídeo da baixinha cantando... ok ok só mãe entende o malulês que ela fala!  A música é do desenho Aconteceu no natal do Mickey, é a clássica música de natal We wish you a Merry Christmas, que em português virou: "que sejam lindas as festas, que sejam lindas as festas, que sejam lindas as festas... natal, ano bom!" (mas o melhor do vídeo é o agradecimento)

Caso você não consiga assistir ao vídeo na figura abaixo, basta clicar neste link: https://youtu.be/boXSmzH7cLc 

video



terça-feira, 14 de abril de 2015

Mais um susto pra coleção

A gente quando vira mãe sabe que nunca mais vai dormir tranquila, que nem tudo são flores e que mais cedo ou mais tarde o bebê vai ficar doente... comigo o susto foi logo no nascimento pra eu ficar descolada! Três meses de UTI, uma convulsão febril, algumas idas à emergência... e eu achando que já tinha visto de tudo.... como diria a Peppa “mamãe bobinha!”

Malu estava com tosse produtiva e nariz escorrendo há alguns dias... ela que nunca foi de pegar gripe, depois que entrou pra escola é uma atrás da outra. Antes da escola o problema dela era amigdalite, de 45 em 45 dias estávamos nós no pediatra ou na emergência por causa do raio da garganta, mas felizmente desde Novembro que ela não dá o ar da graça. Fui acompanhando o quadro dela fazendo nebulização com soro, dando xarope e usando spray de soro nasal... até aí nada demais, a pequena não teve febre e estava tocando o terror como de costume.

Esta madrugada notei algo diferente... a barriguinha dela estava subindo e descendo rápido demais... ela parecia ofegante sem ter motivo para tal. Sabe quando a gente dá um pique e fica com a respiração rápida? Ela estava assim dormindo! Sentei ao lado da cama dela e não preguei o olho... algo me dizia que aquilo não era nada bom, mas também estava no dilema de correr para uma emergência no meio da madrugada e ficar lá mofando cheio de criança doente em volta. Malu acordou bem, pediu leite, jogou todos os brinquedos pra fora da caixa... eu não levei pra escola, mas já tinha decidido deixar ela na casa dos avós e ir para o trabalho.

No meio do caminho parei no sinal e resolvi analisar bem, meu coração dizia que algo estava errado, foi quando foquei no pescoço dela... quando ela respirava fazia um furo no pescoço dela. Aquele foi o sinal para correr para o Rios D´or! Chegamos lá e logo fomos para a triagem, aonde tiraram a temperatura dela e perguntaram o motivo de estarmos lá. Quando falei da respiração acelerada eles pediram pra virar ela de frente para observar, bastou um minuto para irmos direto lá pra dentro. O normal seria voltar para sala de espera, mas viram que ela realmente estava fazendo um grande esforço para respirar.

Nunca me senti tão aliviada de ter tomado a decisão de ir ao hospital! Lá dentro ela foi diagnosticada com broncoespasmo, fizeram uma medicação com espaçador (eu já tinha ouvido falar, mas só hoje fui apresentada ao tal espaçador) em 3 etapas e deram mais outra medicação oral pra pequena. Depois a médica auscultou novamente a Malu e falou que podíamos ir para casa e continuar a medicação por mais 5 dias.


Como a Malu foi prematura extrema, tenho muitas amigas mães de UTI da mesma época que já são PHD em espaçador! Prematuros normalmente desenvolvem algum problema respiratório pelo fato de terem dependido de oxigênio durante algum tempo na UTI... e a Malu tinha dado a sorte de até agora não ter apresentado nada, mas as minhas queridas “Leoas da Pernatal” já me tranquilizaram e me deram uma aula de como usar a geringonça! O que importa é que a baixinha está medicada e em casa descansando, já já estará pronta pra outra... e a mãe aqui está refeita de mais um sustinho básico.

Pequena esperando a medicação e reclamando...

Brincando no parquinho do hospital :)

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Cadê as dobrinhas que estavam aqui? – a mudança nos hábitos alimentares

Ok, a Malu nunca foi um bebê daqueles de revista, cheio de dobrinhas ... mas até que ela teve seus dias de fofurice! Acho que todo bebê antes de ficar em pé e andar, parece mais rechonchudo... depois que se estica vai parecendo mais magro, até porque começa a gastar mais energia andando e depois correndo.

Com mini Malu não foi muito diferente, vocês podem ver nas fotos lá embaixo que ela era parruda e agora é um filé de borboleta. Claro que a genética e os hábitos alimentares influenciam muito... eu sempre fui muuuuuuuuuito magra quando criança, o Roberto também é magro... e até bem pouco tempo a Malu não comia nenhuma besteira. Eram só legumes, verduras, grãos, carnes, leite, água, água de coco, sucos, iogurte e frutas. No máximo um biscoito maisena, um pão...

Só que o tempo passa... as festinhas aparecem... a Malu começou a frequentar restaurantes com a gente... e curiosa como toda criança, sempre quis o que estava no prato dos pais. Assim ela descobriu a salada de beterraba do Delírio Tropical, o Macarrão de sábado da casa da vovó Beth, a batata frita do L’Entrecôte de Paris, o brigadeiro da Carolina Sales, a língua de gato da Kopenhagen, o biscoito Globo da praia e claro, o Matte Leão que eu amo. Não que a Malu tenha deixado de comer coisas saudáveis, ela apenas conheceu novos sabores e eu como não sou paranóica muito menos natureba, deixei ela curtir coisas não tão saudáveis assim.

Acho que cada pai sabe o que oferecer e quando oferecer um alimento ao seu filho, não julgo ninguém. Eu jamais daria um pacote de Fandangos pra Malu, ou um refrigerante por exemplo, mas não julgo a mãe que dá, nem acho um absurdo uma mãe que nunca deixou o filho comer chocolate aos 5 anos de idade... cada um sabe do seu e pronto. Sei que vai chegar numa idade que não vou poder mais impedir e ela vai comer todas as besteiras que quiser... ou não... vai que nasceu de mim uma filha vegana?? (socorro!!!!!) 

O primeiro brigadeiro da vida da Malu foi na festa de uma priminha, a Sofia. Depois do parabéns peguei um brigadeiro de coco e fui toda feliz comer, quando a baixinha meteu a mão no meu brigadeiro e quis provar. Deixei. Segundos de tensão e.... eca! Cara de nojo!!! Como assim alguém pode fazer cara de nojo para um brigadeiro de coco?! Ok, ok, primeira experiência.

Um tempo depois, num Domingo de sol, fomos para praia como de costume e sempre ofereço água de coco pra Malu. Ela acha uma curtição beber de canudinho direto do coco, mas quando viu meu copo de Matte Leão (calma, calma... eu não bebo aquele de galão gente! É o copinho que vem da fábrica mesmo), pediu na hora! Fiquei com pé atrás, afinal a Malu já é ligada em 220 volts e o mate tem muita cafeína, fora o açúcar... mas deixei ela provar. Pronto ferrou, agora toda vez que está na praia rola um “mati liaum mamãe”.

E assim ela foi provando de tudo um pouco até que conheceu o tal do chocolate. A Malu sempre tinha recusado doces... como falei do brigadeiro, bolos, gelatina... mas com o “colate” foi amor à primeira dentada. Nunca vi a Malu tão feliz e lambuzada. Dei uma mísera língua de gato e depois de comer parecia que ela tinha enfiado a cara num pote de mousse... claro que rolou um “mais colate mamãe Bia”. E eu não dei... E ela abriu o berreiro. Agora os chocolates ficam escondidos lá em casa... outro dia entrei na Kopenhagen pra tomar um café, a baixinha prontamente pediu aquele biscoito tubete que vem com o café... as vendedoras da loja acharam uma graça a Malu comendo o biscoito com chocolate fazendo a maior sujeirada... acabou o biscoito... ela pediu o do pai!

Acho que pelo fato dela ter pesado 710 gr eu nunca me importei muito dela fugir da dieta saudável, pois mãe de prematuro reza pro filho engordar... quando ela era menor era um tal de botar farinha láctea na mamadeira, na fruta... tentei o Fortini, óleo de coco, mas acabamos ficando com o Pediasure. Sei que devo priorizar a alimentação saudável (não só pra ela, mas pra família toda), mas sou daquelas que não dispensa uma pizza nas noites de Sexta-feira, nem que eu tenha que comer salada de Segunda à Quinta.

Digo que a Malu é magra de ruim porque ela come de tudo, em boa quantidade e continua magrela. Atualmente ela acorda as 7h, bota uma mamadeira de Enfagrow pra dentro e vai pra escola. Lá ela lancha por volta de 9h e aí o cardápio é variado, tem suco ou leite com Nescau... bolo, sanduíche, biscoito e frutas. Chegando na casa dos avós ao meio dia ela almoça. Um exemplo de prato da Malu seria arroz, feijão, creme de espinafre, purê de batata baroa e bife. Uma meia hora depois do almoço ela pede o famoso “ti”, que é o Pediasure. Mata uma mamadeira de 225 ml e dorme a soneca da tarde. Quando acorda pede outro “ti”! Depois desce pra brincar no parquinho e acaba comendo uma fruta. As 18:30 janta no mesmo esquema do almoço. Aí eu busco ela e vamos pra casa... quando eu sento pra jantar ela pede o que eu estou comendo, ou então um biscoito ou pão... e ainda toma outra mamadeira de Enfagrow ao dormir! Ufa, engordei só de escrever!

Na última consulta no pediatra ela havia engordado 1 kg em 4 meses, ou seja, 250 gr/mês. Tem 2 anos e 8 meses e pesa 11,650 kg... Peso pena, eu sei... mas como já falei em outro post, o que importa é ela ter saúde, prefiro ela magrela do que gordinha... ia ser um estresse ficar regulando a comida da baixinha. Lembro da minha infância... vivia tomando remédio para abrir o apetite, comia de tudo... depois do jantar matava um milk shake de chocolate e continuava nos meus 40 e poucos quilos... já hoje em dia, não posso dizer o mesmo! Então vou deixar a baixinha comer o que quiser enquanto ela pode!



Malu gorducha

Malu magrela

segunda-feira, 6 de abril de 2015

A volta dos que não foram...

Depois de um longo e tenebroso inverno... ops.. verão... cá estou eu. Malu já não é mais mini, tem 2 anos e 8 meses e fala pelos cotovelos.  Abandonei o blog em Setembro, pois estava realmente sem tempo e sem cabeça para escrever... a vida deu voltas, saí do emprego, Malu entrou na escola, entrei no emprego novo... e tudo foi se ajeitando aos poucos. Aí bateu uma mega saudade de escrever, e de contar tudo que vem acontecendo na vida daquela pessoinha que nasceu com menos de 1kg e vem desbravando novos caminhos a cada dia.

Não sei se vou conseguir voltar a escrever com a mesma frequência de antes, mas prometo que vou me esforçar... resta saber se a Malu deixará, pois ultimamente não consigo fazer nada “pra mim”, é tudo “pra ela”. Tem dia que torço pra ela dormir cedo, assim consigo ver um pouquinho de TV e jogar um Candy Crush Soda... mas ultimamente só tem rolado Bubble Guppies e Dora a Aventureira. Os próximos meses no trabalho tendem a ser mais puxados, mas com um jeitinho aqui e outro ali vou postando no blog.

O último post foi no início de Setembro... Malu tinha acabado de fazer 2 anos... e agora, 7 meses depois... quanta coisa mudou! Quando nos dizem que passa muito rápido... é verdade! Ontem mesmo o Facebook, que agora nos lembra do que postamos nos anos anteriores, me mostrou uma foto da Malu com 7 meses... as bochechas sumiram e cabelos se multiplicaram ao longo desses dois anos!!! E não foi só isso... tivemos a saga da adaptação escolar, as férias em família, a primeira tentativa do desfralde, o abandono do Discovery Kids e a entrada do Nick Jr, o primeiro natal com a Malu curtindo (ou não) ou Papai Noel... enfim, tenho muita coisa pra contar, mas vamos com calma.. Ainda tenho que acessar o HD do cérebro pra poder passar tudo pro papel.

Além das histórias da Malu, vou convidar outras mães de prematuros para escrever aqui. Fiz muitas amigas na época da UTI que tem relatos preciosos para compartilhar e também conheci muitas mães de vários cantos do Brasil e do mundo por conta do blog. Ô ferramenta porreta essa tal de rede social,  por conta do Facebook tem gente lendo o blog lá na Ucrânia! É muito bacana poder dividir conhecimento com vocês e aprender tanto ao mesmo tempo.... tem muita gente que me fala para fazer do blog uma profissão, mas acho que não levo jeito pra coisa... Precisaria de muita disciplina e de um bilhete premiado da mega sena pra poder pagar as despesas lá de casa!!!

Nós fingimos que fomos, mas "vortemos"... ó nós aqui "travez"

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Keep on running!!!!!!!!!

A correria é tanta no trabalho que não tive tempo de escrever nada esses dias, mas recebi um vídeo muito lindo que a minha mãe (vulgo Vovó Be-TAAAAAAAAA da Malu) me mandou sobre a possível prevenção da prematuridade e achei que deveria compartilhar com vocês.

O texto é todo em inglês, ainda não achei versão traduzida, mas assim que tiver um tempo traduzo aqui no blog.

Segue o link: http://bcove.me/ewpszksi

Beijocas

Bia e mini Malu :) 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Vem chegando o verão....

O que? Verão? Tá doida? Estamos em Agosto! Sim!!! Mas se você como eu, mora no Rio de Janeiro, o verão termina no início de Julho e começa do fim de Agosto... sem contar os veranicos neste meio tempo! No Sábado passado tivemos “míseros” 36 graus em pleno dia 23 de Agosto... Pode isso Arnaldo?!! Pois é... e como a Malu é rata de praia, tenho que me preocupar com o sol. 

Sabemos que o sol é essencial para as crianças, pois é através dele que conseguimos a vitamina D, e para os pequenos perto dos dois anos o cálcio é fundamental para o fechamento da moleira... mas tudo em excesso é prejudicial! Todo mundo sabe que o horário recomendado para qualquer pessoa de qualquer idade tomar sol é antes das 10h e após as 16h, mas nós cariocas sabemos que quase ninguém por aqui segue esta regra né?

Quando a Malu era bem pequena eu pegava sol com ela bem cedinho, antes das 8h, pois ela foi pra casa em Novembro e o sol estava de lascar... mas conforme ela foi crescendo os horários foram mudando e hoje durante a semana ela desce para brincar no parque pela manhã (por volta das 09:30) e a tarde quando acorda da soneca.. e quando o dia está bonito e o calor forte ela vai com os avós pra piscina do condomínio. No fim do último verão ela tava pretinha com marca do maiô! Mas não achem que sou uma louca que passa rayito de sol na Malu! Eu entupo ela de protetor (Episol 60 – recomendado pelo pediatra) e recentemente comprei duas camisas que protegem contra raios UV. No último fim de semana fomos para Búzios e as camisas fizeram o maior sucesso, ela adorou, pois uma é de mulher maravilha e a outra quando molha aparecem uns desenhos como se fosse mágica!

Apesar de adorar praia, eu demorei a levar a Malu, pois tinha medo dela pegar alguma ziquizira! Praia aqui no Rio de Janeiro é o que há de sujo... a areia é cheia de lixo que o pessoal deixa pra trás e o mar então, melhor nem entrar em detalhes né? Fui adiando... adiando, até quando a Malu precisou fazer fisioterapia para engatinhar e depois andar, e a fisioterapeuta falou que seria ótimo para ela andar na areia, isso foi um pouco antes da Malu fazer um ano. Na primeira vez ela não queria ficar com o pé na areia por nada, mas já na segunda vez se esbaldou brincando... de lá pra cá o vício só aumenta. 

Em Maio deste ano nos mudamos pra perto da praia, e agora é que acabou o sossego... quando desço com ela pro parquinho do prédio, ela aponta pro portão do condomínio e não quer mais ficar no play, quer ir pra praia. Tem fim de semana que eu to morta, que ela já foi a praia de manhã, tá de banho tomado, cheirosinha e sem areia... descemos pra brincar e pronto, começa a choradeira... só para se for pro calçadão e quando chega lá só sossega se descer até a areia.

O que mais me incomodava quando a Malu era menor era a tralha que eu tinha que levar pra praia... a preguiça era tanta que eu preparava tudo de véspera! Barraca (duas), cadeira (duas), toalhas (várias), canga, brinquedos (vários), piscina inflável, roupão da Malu, protetor solar da Malu, protetor solar pra mim e pro Roberto, fralda de praia extra, fralda comum, pomada, muda de roupa, mamadeira, tuppeware com biscoito maisena ou fruta, chapéu da Malu (que não fica na cabeça, óbvio)... e mais alguma tralha que eu esqueci agora. Ufa! Canso só de lembrar.

Agora que ela tá maior, passo o protetor em casa, tasco a fralda de praia com maiô (e rezo pra ela não fazer xixi no caminho de casa até chegar na areia), havaianas nos pés (meus e dela), pego uma sacola com os brinquedos e boto na bolsa de praia o roupão pra hora de ir embora e dinheiro pra água de coco! O pai fica encarregado de levar barraca e cadeira e pronto, acabou. Quando piso na areia, ela já pula do meu colo e sai correndo pro mar... tá achando que se mergulhar no fundo vai encontrar a Ariel, fato.


Eu já desisti de manter minha casa sem areia... é areia no tanque da área de serviço... areia no chão do meu box... areia nos cabelos da Malu. Todo fim de semana de sol eu abstraio e sei que a areia só vai sumir na Terça-feira depois que a Neide passar o aspirador de pó! Mas tudo tem seu lado bom... depois de uma praia a Malu dorme que é uma beleza! Parece até Aurora Bela Adormecida que só acorda com beijo da mamãe encantada... mas a praia também tem suas armadilhas... os vendedores de biscoito e sorvete... por enquanto eles só conseguem me seduzir com o cheiro do milho cozido e do queijo coalho, porque a Malu ainda não pede nada na praia, toma no máximo uma água de coco... mas sei que mais cedo ou mais tarde quando o moço da Kibon passar, vai ter choradeira pra comer um Chicabon que vai me custar os olhos da cara.

Primeira vez que botou o pé na areia!

Aprontando em Búzios :)


Pegando um bronze com a camisa UV (só que não!!!)